31 março, 2012

Não pretendo te contar sobre minhas lutas mentais. Você terá nas mãos minha simplicidade e minha leveza, que podem não ser totalmente verdadeiras, mas foram criadas com muito carinho pra não assustar pessoas como você. Não vou ficar falando sobre a complexidade dos meus pensamentos, minha dualidade ou minhas dúvidas sobre qualquer sentimento do mundo. Vou te deixar com a melhor parte, porque eu sei que você merece. Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.

Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado. Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado. Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber. Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia. Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.

Você não precisa saber que eu choro porque me sinto pequena num mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Você nunca vai saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar. Muito menos que eu estou escrevendo sobre você neste exato momento. E não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir você dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que eu não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos e olhando nos meus olhos. E a segunda opção ninguém mais tem.


 Verônica H

‘to com frio’ 

Vai por blusa ué rs’ 

NÃO, VC NÃO ENTENDEU A BRINCADEIRA ERA PRA DIZER DEIXA Q EU TE ESQUENTO VAMO TENTA DE NOVO ‘

To com frio’

to rock '

“Cuida de nós, do nosso amor. E de você, meu bem,
 deixa que eu cuido.”


Então limpei as lágrimas e disse que era ”sono”.

Ei, sorriaSorriu? A vida no momento pode não estar te dando motivos, mas mesmo assim, sorria. Pode ser para disfarçar toda a sua dor ou simplesmente para demonstrar as outras pessoas que você está “bem”. Você não está. Eu sei. Eu te entendoMas nem tudo vai sempre estar bem, nem para você, nem para ninguém. A vida não é boa e cheia de alegria o tempo inteiro. É normal, ou pelo menos parece ser. Eu prefiro pensar dessa forma, dói menos. Não vou negar, tem hora que bate aquela vontade de desistir, ela é forte, muito forte, mas a vontade de continuar e ir até o final é bem maior.”
Atrás de uma pessoa sorridente, existe um ser acoado e triste, esperando alguém que lhe faça sorrir. 
Existe um pedaço de nós que sempre estará sozinho, uma parte de nós que nunca será entendida. Ou seja, o lado único que fica dentro de cada um de nós.
Solidão não é ficar sozinho nas noites mais frias, ou nas mais quentes enquanto sua mãe trabalha. Ou, até mesmo, naquele dia em que todos sumiram sem deixar notícia alguma. Você apronta seu próprio almoço, liga a tv e se sente um pouco melhor. Isso acontece.
Solidão mesmo, é aquele sentimento onde tudo em que você mais acredita, tudo que você mais ama, não faz sentido, simplesmente não se encaixa sobre seu olhar critico. Ver as pessoas e não entender porque elas fazem o que fazem é a coisa mais complexa possível que pode acontecer, pois se sentir sozinho, se sentir único, é estranho. Enquanto aguardamos por pessoas que nos compreendam e que nós mesmos podemos entendê-las, a vida passa e nesse tempo é difícil de acreditar, que é tão difícil de encontrar alguém que vai sorrir das mesmas coisas que você, que vai entender a sua piada que critica a sociedade de modo subliminar, que fala sobre coisas que você considera interessantes e o melhor de tudo, que um dia vai te ensinar algo.
“Eu saio de tudo com apenas um sorriso.”



Corey Taylor
“Eu sou uma pessoa eterna apaixonada por palavras. Música. E pessoas inteiras. Não me importa seu sobrenome, onde você nasceu, quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono. Gosto de quem mete a cara, arrisca o verso, desafia a vida. Eu sou criança. E vou crescer assim. Gosto de abraçar apertado, sentir alegria inteira, inventar mundos, inventar amores. O simples me faz rir, o complicado me aborrece.”



Caio Fernando Abreu

[…]Passo horas falando pra ficar muda de repente, passo toda a segurança do mundo pra me derrubar em medos bobos. É que tudo fica mais legal em constante mudança. E eu nem sei mais ser a mesma sempre.

“Quando eu tinha 5 anos, minha mãe sempre me disse que a felicidade era a chave para a vida. Quando eu fui para a escola, me perguntaram o que eu queria ser quando crescesse. Eu escrevi “feliz”. Eles me disseram que eu não entendi a pergunta, e eu lhes disse que eles não entendiam a vida.”
Não, não pense que é sempre bom, não sou a-toda-boa, a toda alegre o tempo todo, a toda amorosa constantemente. Eu sou estranha, tenho gestos e pensamentos e encanações e neuras e filosofias viajantes e temperamento salgadoe toda uma série de e’s que não consigo ajustar aqui, agora, pra você, talvez por não saber ajustá-los nem pra mim. Mas deixa isso tudo pra lá, eu e a minha estranhice, estranheza, estranhagem, estranhamento, estranhação. Estranha ação. É isso aí, sou cheia de estranhas ações. Uma delas é tentar explicar o sentido de uma coisa que nem sentido faz.
Tenho medo de decepcionar as pessoas, de magoá-las, de faze-las cansarem de mim. Só queria que elas também tivessem esse medo.
Nunca, em hipótese alguma se esqueça de sorrir, seu sorriso é sua maior arma contra a infelicidade.
Slipknot não é do Diabo, Kiss também não. Os caras da Restart não são viados só pelas roupas que usam. Os do Nirvana também não viviam só usando drogas. Coldplay é rock, não importa se é leve. Justin Bieber pode ter uma voz que não agrada a todos, mas admita que se ele não tivesse talento ou no mínimo carisma, não estaria onde está. Ninguém provou que Michael Jackson era pedófilo. Amy Winehouse não era só uma bêbada drogada, era um grande talento. Marilyn Monroe tinha sentimentos e teve uma infância pobre. Britney pode não ser a melhor cantora do mundo, mas é a princesa do pop e ponto final. Axl Rose não era gay só por usar shorts coladinhos no corpo e rebolar feito uma garota. E Cherie Currie não era vadia por se apresentar de calcinha e espartilho. Ninguém agrada a todos. Mas todos têm o dever do respeito mútuo




Fica o recado




“A partir do momento que você descobre realmente a pessoa que você é, o que falam sobre você já não tem tanta importância assim.”



Caio F. Abre

Desabafo '

Tô precisando sair dessa rotina, desapegar-me, parar de frequentar sempre os mesmos lugares, com as mesmas pessoas. Tô precisando de uma tsunami que invada de vez a minha vida, trazendo-me boas novas, trazendo-me transformações, trazendo-me forças pra continuar a levar essa vida tão cheia de erros, tão cheias de obstáculos. Preciso de algo, que tire de mim esse medo, essa insegurança, essa solidão que insiste em morar aqui dentro de mim. Preciso de algo que tenha nome, endereço, mas que mesmo assim insiste em ficar cada vez mais distante de mim. “Até quando?” pergunto-me todos os dias, nessa incansável busca pela felicidade, pela qual está em você, amor. Eu quero uma vida diferente, cheia de esperança muito amor pra dar, eu quero sair, eu quero viver, não apenas existir, por que eu to cansada de viver e fazer sempre as mesmas coisas. Mas eu prometo, que de agora em diante será diferente, que nessas novas linhas dessa história chamada vida, quem dita as regras, sou eu.

30 março, 2012

Eu não quero promessas. Promessas criam expectativas e expectativas borram maquiagens e comprimem estômagos. Não, não e não. Eu não quero dor. Eu não quero olhar no espelho e ver você escorrer, manchando minha cara bonita.
"Claro que as mulheres podem tudo, está sacramentado. Mas será que devemos 
querer tudo? Onde foi parar nosso critério de seleção? Já não sabemos distinguir o que é prioridade e o que pode ficar em segundo plano: tudo virou prioridade. E só uma mulher supersônica consegue ter eficiência absoluta em todos os quesitos: melhor mãe, melhor amiga, melhor filha, melhor namorada, melhor esposa, melhor profissional, melhor dona-de-casa e melhor bunda. É morte por exaustão na certa..."


Martha Medeiros.
Das duas, uma. Ou você tem namorado(a), amante, parceiro (a); ou está sozinha. A sociedade prega que as pessoas vivam em pares. Isso não é de hoje. Mas eu gostaria de dizer que sinto uma imensa preguiça desse papo. Papo furado de quem leu muito "Romeu e Julieta". Eu acredito no amor. Não como uma salvação. Mas como um prêmio de quem consegue se achar. E se conhecer. Não acho que a felicidade do outro esteja unica-e-exclusivamente em alguém. Longe disso. O que eu vejo muitas vezes são pessoas desesperadas para encontrar alguém. Mulheres lindas e inteligentes que acreditam que são menos por não serem dois. Fico triste com tudo isso. Muita gente casa sem querer. NAMORA SEM SABER OS SONHOS DE QUEM DORME AO SEU LADO. As pessoas banalizam o amor e o colocam em pacotes. Com laços de fita e tudo. Muito chique.

(O que eu acho é que o mundo precisa de pessoas apaixonadas. Por elas mesmas.)
“Eu aprendi que palavra é igual oração.
Tem que ser inteira, senão perde a força”.

Fernanda Mello

Arnaldo Antunes '


‎"Escuta: eu te deixo ser, deixa-me ser então."
Clarice Lispector

fato '

Quando você estiver triste, se sentindo "insignificante", lembre-se: existe alguém que é FELIZ somente por amar você.
Um lenhador tinha um bebe e um leão em casa, o leão servia como guarda do bebe. O lenhador ouvia pessoas que diziam: o leão vai matar seu filho ! Mas ele confiava no animal. Um dia quando o lenhador chegou encontrou o leão com a boca cheia de sangue. No desespero e sem pensar, acertou o machado na cabeça do leão,matando-o. Ao entrar no quarto,viu seu filho dormindo, e ao lado do berço havia um urso morto.Moral da História:"Se vc confia em alguém,não importa o que oso utros digam a respeito. Não se deixe levar"

Não aceite uma vida triste, sem cor, sem amor, sem saúde, sem dinheiro, sem respeito. Você nasceu para brilhar, para vencer!
Crie laços com as pessoas que lhe fazem bem. Desfaça os nós que lhe prendem ao que te atrasa. Nó aperta, laço enfeita. Simples assim...
É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada.
Esqueça o que te machucou no passado. Mas nunca esqueça o que isso te ensinou... O que fica é a experiência.
Que o ódio e o rancor jamais superem a força do amor, do perdão e da fé. São esses os sentimentos que nos fortalecem e nos tornam melhores!



‎"NENHUM HOMEM PRESTA? Não julgue todos eles por você ter aberto as pernas pro primeiro cara que te chama de linda. Eles NÃO são todos iguais, você que NÃO foi diferente!"
Sou eu, quem vai ouvir você quando o mundo não puder te entender.
Senta aí e deixa eu te dizer como a vida passa devagar quando a gente não se encontra. Quando a gente deixa o beijo virar ontem, o abraço virar sonho. Mostra pra mim que eu faço falta, enquanto sinto a falta tua, e não me deixe ir também. Repete o chá e o biscoito enquanto o tempo passa, se repete, me repete. Finge que não sabe ir embora, que não tem pra onde ir. Fica, e senta aí, pra eu te dizer como a vida voa, quando a gente se distrai, se atrai. E quando for, vai como quem quer voltar. E volta. Volta, e senta aí!

29 março, 2012


Eu preciso aprender a ser menos. Menos dramática. Menos intensa. Menos exagerada. Alguém já desejou isso na vida: ser menos? Pois é. Estranho. Mas eu preciso."
Tenho um ritmo que me complica. Uma vontade que não passa. Uma palavra que nunca dorme. Quer um bom desafio? Experimente gostar de mim!
Bonito mesmo é essa coisa da vida: um dia, quando menos se espera, a gente se supera. E chega mais perto de ser quem - na verdade - a gente é.

Minha e das minhas lamentáveis escolhas. Minha e do meu coração lerdo. Minha e da minha imaginação pra lá de maluca. Então, com sua licença, deixe eu e minha culpa em paz. Eu e meu delicioso perdão por mim mesmo. Eu só te peço uma coisa. Pare de culpar a vida. Pare de ter pena de você. Se assuma. Se aceite. Se culpe. Se estrepe. Se mate. Mas se perdoe. Pelo amor de Deus, se perdoe.
Somos todos culpados, se quisermos. Somos todos felizes, se deixarmos
Não importa que você não fale o que eu tento descobrir de você e não consigo. 

(SEU OLHAR ECONOMIZA PALAVRAS) 
"Hoje acordei inteira. Migalhas? Pedaços? Não, obrigada. Não gosto de nada que seja metade. Não gosto de meio termo. Gosto dos extremos. Gosto do frio. Gosto do quente (depende do momento.) Gosto dos dedinhos dos pés congelados ou do calor que me faz suar o cabelo. Não gosto do morno. Não gosto de temperatura-ambiente. Na verdade eu quero tudo. Ou quero nada. Por favor, nada de pouco quando o mundo é meu. Não sei sentir em doses homeopáticas. Sempre fui daquelas que falam "eu te amo" primeiro. Sempre fui daquelas que vão embora sem olhar pra trás. Sempre dei a cara à tapa. Sempre preferi o certo ao duvidoso. Quero que se alguém estiver comigo, que esteja. Mesmo que seja só naquele momento. Mesmo que mude de idéia no dia seguinte."
"De longe, 
Te sinto. 
Te sei."
"No travesseiro, meus pensamentos são seus."




sz
"Tudo com o que eu me importo, ME IMPORTA MUITO. Me suga, me leva, me atrai, se funde com tudo o que sou e me consome. Toda. Por inteiro. Sorte minha me doar tanto - e com tal intensidade - e ainda sair viva dessa vida."

Dar valor quando se perde '

Se existe algo que eu não entendo é gente que só dá valor para as coisas depois que perde. Acontece com todo mundo. Uma vez ou outra. Até aí tudo bem. Não é preciso ter muita inteligência pra saber o quanto algumas coisas nos são caras. Mas não é que – de repente – a gente esquece? Vive achando que o passado era melhor, que a grama do vizinho é mais verde? Então, meu amigo, está na hora de rever seus conceitos. Essa coisa de “eu era feliz e não sabia” é coisa de gente fraca e não pega nada bem. A era do saudosismo já era, inventar um passado perfeito (pra aliviar o presente) não vai te fazer crescer. NUNCA.

Será que a gente precisa perder a casa, a saúde, o emprego (e o respeito) pra lhes dar os devidos valores? Será necessário que o amor se vá para ver o quanto ele era especial?

Sejamos sinceros: será que precisamos PERDER para, depois, aprendermos a VALORIZAR?

Ah, não. Eu estou cansada. Chega de ser a “mulher da vida” de um bando de bocomocos que só me deram valor depois que eu me mandei. Não é sempre assim? A gente aguenta o que pode, faz de tudo pra relação dar certo. Aí um belo dia acordamos de saco cheio e resolvemos dar no pé e pensar mais na gente. Nessa hora, o céu se abre, uma luz incide no meio da cabeça dos pobres moços e eles conseguem enxergar o quanto a gente era incrível. Incrível é pouco, na verdade. Eles vêem o quanto éramos mulheres de verdade, parceiras de qualquer crime, que aguentávamos todas as chatices e ainda fazíamos um carinho gostoso antes de dormir. Parece familiar? Pois é. Aí a gente muda de classe. De CHATA a gente vira A mulher. A santa. A deusa. A insubstituível. 

Ô céus, e o pior é que isso acontece em todas as áreas da vida da gente. Lembra daquele emprego bizarro? Ai, que saudade (já que o de agora é muito pior!). Lembra da sua adolescência (ah, que tempo bom, arguição é a melhor coisa da vida!). Bom, como vocês podem ver, estou meio alterada hoje (o que, com a graça de Deus, me faz escrever 1500 caracteres por minuto) e, por isso, resolvi extravasar minha indignação diante de todas as criaturas (inclusive eu, vai saber) que cometem o deslize de achar que o passado é sempre melhor. 

Se o passado foi bom, ÓTIMO! Guarde-o na memória e faça seu AGORA ainda melhor. Que tal? Difícil? Então vamos lá. (Quando eu fico nervosa eu viro um livro de auto-ajuda, me acudam!)

Regra número um: a gente tem memória seletiva e SÓ lembra das partes boas. Dos anos que foram coloridos. Das pessoas legais. Dica pra não cair nessa furada: seja realista e lembre-se de todos os defeitos alheios e todos os sentimentos ruins que você sentiu. Regra dois: pra mim, um cara (ou um trabalho ou um amigo) que não te dá o devido valor deve ser rebaixado. É, rebaixado mesmo. Então, se o cara resolveu te dar valor AGORA, ao invés de você agradecer e bater seus enormes cílios, se pergunte: um indivíduo que vive nesse estado de insatisfação constante vale a pena? Regra número três: essa é a mais difícil. Sinta-se agradecido. Verdadeiramente agradecido. Por tudo o que você tem HOJE. Por tudo o que você É. Seja honesto com seus sentimentos. Não se supervalorize. Nem tampouco se subestime. Seja forte. E bote pra quebrar (se vier a calhar). 

No mais, é só viver com o coração ABERTO. Afinal, o mundo anda tão louco que quem não aproveitar o presente vai se arrepender amanhã. Essa é a minha única certeza.
O tempo está feio lá fora e sinto que hoje eu poderia escrever para sempre. Não sei porque, mas acordei com uma ousadia absurda de dizer qualquer besteira. E a verdade é apenas uma: sou contra a censura e isso me faz bem. Não quero nada que soe bonito, não quero nada que precise de revisão, não quero nada que mostre apenas um foco de visão: quero escrever sem ter fim, quero dizer sem ter motivo, quero inventar por inventar e isso me basta. Palavras são minha companhia e não tenho preconceito: frases feias ou bonitas, de qualquer raça, cor, crença, fonte e tamanho, quero todas aqui. Porque o tempo lá fora está feio e, por aqui, apesar do frio, tudo está bonito. Palavras me colorem e me escrevem. Olho pela janela e entendo. Apesar de difícil, é simples o mundo. O céu parece mais claro e até o cinza me traz um tom diferente: é só um novo jeito de ver. Ou de me sentir. 

Gentileza .

Outro dia – numa roda de amigos – surgiu um assunto que me fez pensar: já repararam que nesses tempos modernos, deixamos a gentileza de lado e nos desculpamos pelos maus modos, colocando a culpa no estresse? Pode ser uma resposta atravessada por conta do trânsito caótico. Pode ser o prazo curto. A falta de dinheiro. A falta de tempo. A falta de saúde. A falta de graça na vida. Os motivos são muitos e não param. Mas será que – em nome das nossas “faltas” – temos o direito de sermos MENOS humanos? Onde foi parar a delicadeza, a gentileza, a educação e o respeito? Onde foi parar o que nós SOMOS?
Desculpe-me, mas é difícil responder. Estamos tão individualistas que mal percebemos o outro. Eu, pessoalmente, acho uma falta de inteligência privilegiar apenas o SABER e não valorizar quem tem uma visão generosa do mundo. Para mim, a combinação dos dois – conhecimento e sensibilidade – são um prato cheio para vivermos melhor. E crescermos tanto pessoal, quanto profissionalmente.
Infelizmente, não é isso que vemos por aí. O respeito parece ter saído de moda. Gentileza, então, virou gíria das nossas avós. Nada de “bom dia”, “boa tarde”, nem um olhar que te perceba como indivíduo.
Importante esclarecer: não gosto de generalizar. Conheço pessoas que – no meio do salve-se quem puder! – continuam a ser PESSOAS.  Enxergam, em seus olhos, o outro. Oferecem – sem o menor constrangimento – um abraço sincero. Uma ajuda inesperada. Um elogio. Um silêncio na hora certa.
Isso, para mim, não é frescura. É apenas a boa e velha educação pedindo passagem... Implorando para não ser esquecida, dentro do carro, na hora do rush.
Claro que não é preciso dizer “obrigada!” a cada minuto. Mas antes uma palavra doce do que deixar nosso lado brucutu (acredite, todo mundo tem um!) falar mais alto e acabar com a CORDIALIDADE que ainda nos resta.
Você acha esse papo ultrapassado? Chegou, então, a hora de me desculpar. DE NOVO.
Sei que pode parecer ingenuidade minha, mas eu continuo com fé no ser humano. (E em mim). Acho que a pessoa que desenvolve sua sensibilidade para perceber o outro (seja no trabalho, em casa, na rua ou na fazenda), só tem a ganhar. Uma promoção. Um trabalho melhor. Um amigo de verdade. Um dia mais feliz. Ou apenas um sorriso que – a meu entender – já vale o esforço.
Por isso, venho escrever esse texto para tirar meu nó da garganta e alertar aos que ainda sabem ouvir: o mundo precisa de mais gentileza. E menos – muito menos! – cara amarrada.

 “Tô resolvendo umas coisas aqui viu, esses negócios de sentimentos demonstrados demais meio que estraga.” 

Caio Fernando Abreu 
"A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. Idealizar é sofrer. Amar é surpreender.”

“Só se pode viver perto do outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura”.


(Guimarães Rosa)
Toda mulher que se preze já se apaixonou por um babaca. A história é quase sempre a mesma, o final também. A gente conhece um cara, ele se mostra doce, maravilhoso e bem resolvido. A gente – encantada – guarda a intuição no fundo da gaveta, veste o melhor decote (e o melhor sorriso) e sai linda, leve e solta para mais um capítulo cheio de frases mal contadas, celular desligado e eventuais sumiços. Verdade seja dita: a gente sente que tem alguma coisa errada, mas acaba fazendo vista grossa. E acha que está sensível demais, exigente demais, desconfiada demais. E deixa rolar. O resultado? O cara te enrola, te pede desculpas. Depois vacila de novo e te enche de presentes. Meninas, estou escrevendo este texto para eu mesma decorar. Imprimir. E nunca mais esquecer. A gente não pode sair por aí perdendo nosso tempo com esses babacas. Chega de desculpar tanto, de tampar o sol com a peneira. Quando um cara REALMENTE está afim de você, ele vai até o inferno por você. Essa verdade ninguém me tira. Não tem trabalho, família, futebol, amigos, crise existencial, nem celular sem bateria que façam com que ele – caso tenha educação e a mínima consideração – não tenha tempo de dizer um simples “oi”. Isso não é pedir muito, concorda? O cara não precisa dar satisfação a toda hora, te ligar várias vezes por dia, isso é chato e acaba com qualquer romance. O que eu quero dizer é que mulher precisa de carinho. Atenção. E uma sacanagem bem-dosada. Se o sujeito vive brincando de esconde-esconde, não responde lindamente suas mensagens, não te chama pra sair com os amigos dele e nem tenta te agarrar quando você diz que está com uma lingerie de matar por debaixo da roupa, minha amiga, o negócio está feio. Muito feio. Confesso que não é tarefa fácil colocar um ponto final de uma hora pra outra nessas histórias. Somos seres românticos, abduzidos pelos finais felizes dos filmes e livros. A gente sempre acha que alguma coisa vai mudar, que ele vai perceber TUDO o que está perdendo e vai aparecer com flores na porta da nossa casa. Mas a realidade é diferente. Não somos a Julia Roberts, não estamos numa comédia romântica e, na vida real, homens são simples e previsíveis. Quando eles querem uma coisa, não há nada – nem ninguém – que os impeça. Portanto, anotem aí: quando um cara está afim de você, ele vai te ligar, ele vai te procurar, ele vai te beijar, ele vai querer estar sempre com as mãos em cima de você. Não sou radical, apenas cansei de dar desculpas pra erros que não são meus. Ou são. Afinal um cara babaca sempre dá pistas de que é babaca. Só não enxerga, quem não quer.
“O que é seu encontrará um caminho para chegar até você”. 


Ditado chinês

“E, por último , risque do seu Aurélio a palavra perfeição. O dicionário das mulheres interessantes inclui fragilidades, inseguranças, limites. Pare de brigar com você mesma para ser a mãe perfeita, a dona de casa impecável, a profissional que sabe tudo, a esposa nota mil. Acima de tudo, elimine de sua vida o desgaste que é tentar ter coxas sem celulite, rosto sem rugas, cabelos que não arrepiam, bumbum que encara qualquer biquíni. Mulheres reais são mulheres imperfeitas. E mulheres que se aceitam como imperfeitas são mulheres livres. Viver não é (e nunca foi) fácil, mas, quando se elimina o excesso de peso da bagagem (e a busca da perfeição pesa toneladas), a tão sonhada felicidade fica muito mais possível.” 

“E então? Somando os prós e os contras, as boas e más opções, onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?
Meu palpite: dentro de um abraço.”
Eu sou criança. E vou crescer assim. Gosto de abraçar apertado, sentir alegria inteira, inventar mundos, inventar amores. O simples me faz rir, o complicado me aborrece. O mundo pra mim é grande, não entendo como moro em um planeta que gira sem parar, nem como funciona o fax. Verdade seja dita: entender, eu entendo. Mas não faz diferença, os dias passam rápido, existe a tal gravidade, papéis entram e saem de máquinas, ninguém sabe ao certo quem descobriu a cor. (Têm coisas que não precisam ser explicadas. Pelo menos para mim). Tenho um coração maior do que eu, nunca sei a minha altura, tenho o tamanho de um sonho. E o sonho escreve a minha vida que às vezes eu risco, rabisco, embolo e jogo debaixo da cama (pra descansar a alma e dormir sossegada). 
Coragem eu tenho um monte. Mas medo eu tenho poucos. Tenho medo de Jornal Nacional, de lagartixa branca, de maionese vencida, tenho medo das pessoas, tenho medo de mim. Minha bagunça mora aqui dentro, pensamentos dormem e acordam, nunca sei a hora certa. Mas uma coisa eu digo: eu não paro. Perco o rumo, ralo o joelho, bato de frente com a cara na porta: sei aonde quero chegar, mesmo sem saber como. E vou. Sempre me pergunto quanto falta, se está perto, com que letra começa, se vai ter fim, se vai dar certo. Sempre questiono se você está feliz, se eu estou bonita, se vou ganhar estrelinha, se posso levar pra casa, se eu posso te levar pra mim. Não gosto de meias-palavras, de gente morna, nem de amar em silêncio. Aprendi que palavra é igual oração: tem que ser inteira senão perde a força. E força não há de faltar porque – aqui dentro – eu carrego o meu mundo. Sou menina levada, sou criança crescida com contas para pagar. E mesmo pequena, não deixo de crescer. Trabalho igual gente grande, fico séria, traço metas. Mas quando chega a hora do recreio, aí vou eu... Escrevo escondido, faço manha, tomo sorvete no pote, choro quando dói, choro quando não dói. E eu amo. Amo igual criança. Amo com os olhos vidrados, amo com todas as letras. A-M-O. Sem restrições. Sem medo. Sem frases cortadas. Quer me entender? Não precisa. Quer me fazer feliz? Me dê um chocolate, um bilhete, um brinde que você ganhou e não gostou, uma mentira bonita pra me fazer sonhar. Não importa. Todo dia é dia de ser criança e criança não liga pra preço, pra laço de fita e cartão com relevo. Criança gosta mesmo é de beijo, abraço e surpresa!

28 março, 2012

‎"Não abandona a casa da dor, quem quando dentro ignora.."






M. Gadú

Eu te peço perdão por te amar de repente 
Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos 
Das horas que passei à sombra dos teus gestos 
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos 
Das noites que vivi acalentado 
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo 
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.

Vinicius de Moraes

24 março, 2012

...

Te desejo uma fé enorme. 
Em qualquer coisa, não importa o quê. 
Desejo esperanças novinhas em folha, todos os dias. 
Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo. 
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso. Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes.

~
“E a gente pensa que não aprende e até se surpreende quando nos vemos mais fortes do que pensávamos ser...”


 (Patrícia Ximenes)

14 março, 2012

"O dia mente a cor da noite
E o diamante a cor dos olhos

Os olhos mentem dia e noite a dor da gente"

Pior do que uma mulher que fala o que pensa, é uma mulher que escreve . 

Caio F.




E lembro daquela história zen, o rei que pediu ao monge um talismã que o protegesse de qualquer mal. O monge deu ao rei um anel, com a recomendação de abri-lo só em caso de extremo perigo. Um dia, o castelo foi cercado pelos inimigos, e o rei encurralado numa torre. Ele abriu o anel. Dentro, havia um papelzinho dobrado. Ele abriu o papelzinho e leu uma frase assim: “Isto também passará”. 

Hoje é dia de letra nova. De página em branco. De frio na barriga. Escrever pode ser doloroso. Pode ser reconfortante. Pode ser terapia. Mas não importa. Palavras me constroem. E me vestem. Mostrando o que – por hora – eu não quero mais esconder. 

Demonstre. As pessoas não vão adivinhar o que você sente. 

Ler


“Antes do interesse pela escrita, há um outro: o interesse pela leitura. E mal vão as coisas quando só se pensa no primeiro, se antes não se consolidou o gosto pelo segundo. Sem ler ninguém escreve.”

12 março, 2012




Eu já quis desistir, mas há algo dentro de mim que me faz continuar.

a gente vida dor, para não virar fim ..

Às vezes penso que a pior coisa que há, é aquela estranha sensação de não sentir absolutamente nada.

Mesmo que você deseje o pior pra mim , eu vou continuar desejando o melhor pra você , porque cada um oferece aquilo que tem.

Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? Eu adoro voar!
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre.


Lispector

11 março, 2012

Não vem pro meu lado com essa pergunta e expressão sedenta por respostas infelizes. Sem essa de querer me dizer o que há ou como as coisas são. Deixa-me ser sozinho sem ter de enfrentar suas suposições e julgamentos, deixa-me estar comigo mesmo sem essa cobrança que vocês inventaram. Porque hoje quero ser meu, quero a cerveja só pra mim, as sensações todas minhas, a companhia individual. Não quero enfrentar a expressão meio sarcástica do garçom que me pergunta se vai ser só um copo mesmo, tampouco olhares curiosos inventando para mim a solidão, a decepção amorosa, a ruína da vida social e outras coisas assim. Eu me suporto, o silêncio não me atormenta e eu me acompanho bem; hoje é assim que vai ser. Pelo meu direito à liberdade, à individualidade necessária: estou eu.
Não resisto a sorrisos, não sei como reagir, não sei como lidar. Sorrio junto e meus olhos se prendem e também se perdem enquanto falo besteiras qualquer para prolongar a florescência do riso aberto a mim. Sorrisos me excitam. Sorrisos me enternecem. Entre o tesão e a ternura, fico com a loucura que é bem mais instigante. E minha loucura foi querer desvendar porque esses olhos não sorriam como os lábios. Minha loucura sempre é querer revirar o mundo particular, cutucar a carne e experimentar das feridas. Porque minha meta é sempre atingir para compreender, e eu não sei outra forma de atingir senão invadindo e comungando do todo, sem exceção. Há realidade demais em mim, então, se há a intenção de ser, sem jogos ou receios, mostremo-nos.

Não tem preço ..

10 março, 2012

http://www.youtube.com/watch?v=iKLhQpgj6Z4

Ei garoto, preste atenção. Sabe aquela menina chata, que te irrita, bagunça seu cabelo, te morde, faz você ficar com ciúmes dos amigos dela. Aquela que te deixa nervoso, que briga com você e que fica “enchendo” suas paciências a cada pouco te ligando ou mandando uma mensagem para saber onde e com quem você está. Então, essa menina chata que te irrita, é a que realmente te ama, é ela que vai estar ao seu lado sempre, é ela que vai te fazer ficar morrendo de ciúmes e ela que vai te amar todos os dias, e sabe porque? Porque ela se preocupa com você, ela te ama tanto, tanto que não suportaria te ver sofrendo, e mesmo quando você fizer algo errado, ela vai te perdoar, vai te entender, porque acima de tudo ela confia em você. E essa menina precisa de você, ela precisa do garoto dela, o garoto que a faz sorrir quando tudo parece estar acabado. Ei garoto! Cuide da sua menina, porque apesar de todas as manias que ela tem, apesar de todos os defeitos, ninguém vai te amar como ela te ama
“Uma garota de 5 anos de idade perguntou para o garoto que estava sentado ao lado dela o que era o amor. Ele respondeu: “O amor é quando você pega os meus chocolates da minha mochila todos os dias e eu ainda continuo colocando eles sempre no mesmo lugar.”
O que tem de ser, tem muita força. Ninguém precisa se assustar com a distância, os afastamentos que acontecem. Tudo volta! E voltam mais bonitas, mais maduras, voltam quando tem de voltar, voltam quando é pra ser. Acontece que entre o ainda-não-é-hora e nossa-hora-chegou, muita gente se perde. Não se perca, viu?
Caio F. Abreu

A gente nunca pode julgar o que acontece dentro dos outros.
Caio F. Abreu
Peter Pan: Vivo com os meninos perdidos.
Wendy: Meninos perdidos? Quem são?
Peter Pan: São bebês que caíram de seus carrinhos. Se ninguém os procura em 7 dias, eles vão para a Terra do Nunca.
Wendy: Há meninas por lá?
Peter Pan: Não. Meninas são espertas demais pra caírem de seus carrinhos!
Não significa que você é falso, quando você é legal com alguém que você não gosta. Significa que você é maduro o suficiente pra ser educado.